Data: 20 de julho de 2017

Repórteres acompanham casos de racismo e conversam com vítimas

Categoria: , , - Local: Data: 20 de julho de 2017
Neste Artigo:

&nbspRepórteres acompanham casos de racismo e conversam com vítimas

Profissão Repórter

No mês passado, os irmãos Dênis e Danilo Evangelista foram gravados por passageiros da estação Barra Funda da CPTM, em São Paulo, sendo mobilizados e agredidos por agentes de segurança. A suspeita, que chegou a afastar os profissionais da função, é que o ato tenha sido provocado por injúria racial. À repórter Nathalia Tavolieri, Dênis conta que foi chamado de “macaco” ao questionar por que não poderia entrar no banheiro após 22h, que ainda estava sendo usado por outros usuários. O ‘Profissão Repórter’ acompanha o caso e mostra diferentes ataques racistas que a população negra sofre no dia a dia.

Publicidade

Nathalia conhece ainda Luís Henrique da Silva. O comerciante diz que estava na fila do caixa de um supermercado na zona norte de São Paulo quando ouviu de uma cliente: “Além de preto, é corintiano”. A reportagem explica que a mulher que fez as agressões alegou ter problemas psiquiátricos. Além disso, o programa mostra que os ataques racistas relacionados ao futebol são mais comuns do que parece. O repórter Guilherme Belarmino conversa com o goleiro Aranha, da Ponte Preta, que no último fim de semana jogou em Porto Alegre contra o Grêmio. Durante o jogo, o goleiro foi vaiado toda a vez que pegava na bola — fato que aconteceu três anos depois de o atleta ter sido chamado de “macaco” por vários torcedores do mesmo time. Na época, o Grêmio chegou a ser desclassificado da Copa do Brasil por injúria racial.

Já a repórter Monique Evelle acompanha a repercussão de um comentário racista na internet que revoltou a web em maio deste ano. A postagem, feita por uma usuária depois do atentado terrorista em Manchester, na Inglaterra, lamentou que o fato não tenha ocorrido com os negros da Bahia. A reportagem mostra também a modelo Nérida Cocamaro, filha de imigrantes da Guiné-Bissau. A jovem de 25 anos foi até o Ministério Público Federal denunciar os ataques racistas que recebeu na internet após fazer um trabalho fotográfico para uma marca de roupa.

O ‘Profissão Repórter’ vai ao ar no canal internacional da Globo nesta quarta-feira, dia 19, nas Américas, quinta-feira, dia 20, no Japão e na Austrália, e quarta-feira, dia 26, na África e Europa.

Artigo por


Vamos comentar?

Outras Notícias

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Produtos Brasileiros no Japão - Mugen Foods
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão - Good Support!!
Kumon - Estude japonês!