Proibição da Califórnia sobre carros a gasolina não é boa notícia para montadoras japonesas

Publicado em 25 de setembro de 2020, em Notícias do Mundo

Toyota e Subaru enfrentam dificuldades para enquadrar veículos elétricos na estratégia dos EUA.

Neste Artigo:
&nbspProibição da Califórnia sobre carros a gasolina não é boa notícia para montadoras japonesas
Carro sendo abastecido em posto de gasolina (ilustrativa/banco de imagens PM)

A decisão da Califórnia em proibir vendas de carros a gasolina em 15 anos apresenta um desafio para montadoras japonesas que detêm cerca de 50% do mercado no estado no oeste dos EUA, mas fica atrás de parceiros europeus em veículos de emissão zero.

Publicidade

O governador Gavin Newson assinou uma ordem executiva na quarta-feira (23) direcionando o Conselho de Fontes Aéreas da Califórnia a esboçar regulamentos exigindo que todos os carros de passageiros vendidos no estado sejam de emissão zero até 2035.

Isso o torna o primeiro estado nos EUA a estabelecer um período específico para o encerramento das vendas de veículos a gasolina.

O mercado de automóveis da Califórnia é o maior nos EUA, com mais de 1,89 milhão de veículos vendidos no ano passado. Com a União Europeia – UE já surgindo com planos similares, essa mudança política é particularmente relevante para montadoras japonesas, as quais juntas venderam metade dos automóveis só no estado do que nos EUA todo.

O estado é altamente influente, tanto nacionalmente como globalmente, quando se fala em elaboração de regulamentos na indústria de automóveis.

Enquanto as regras ambientais nos EUA sejam geralmente estabelecidas pelo governo federal, a Califórnia tem a autoridade de estabelecer regras relacionadas mais rigorosas, as quais outros estados podem escolher seguir.

A eliminação de veículos a gasolina é destinada a “encorajar outros estados a tomar liderança similar e essa nação a prosseguir ousadamente para fazer exatamente o mesmo”, disse Newsom aos repórteres.

A mudança repentina se deparou com objeções de montadoras.

A Aliança para Inovação Automotiva, um grupo da indústria cujos membros incluem grandes empresas americanas, europeias e japonesas, emitiram uma declaração sobre o anúncio de Newsom.

A mudança é particularmente problemática para montadoras que ainda vão oferecer veículos elétricos nos EUA, incluindo muitas companhias japonesas.

Montadoras japonesas

A Subaru planeja lançar um modelo elétrico desenvolvido juntamente com a Toyota. “Regulamentos ambientais levaram a mudanças nos gostos dos consumidores”, disse um executivo da Subaru com preocupação. “É uma grande questão, e estamos dê olho em como a situação avança”.

A Mazda deve oferecer seu primeiro modelo elétrico produzido em massa, o MX-30, na Europa e Japão neste outono, mas ainda precisa decidir se o levará aos EUA.

A Toyota, agora a número 1 no mercado de automóveis da Califórnia, provavelmente será forçada a repensar sobre sua estratégia.

A montadora se concentrou em híbridos na América do Norte, mas as novas regras da Califórnia não os contariam como veículos de emissão zero. Enquanto veículos eletrificados contaram por 11,5% de suas vendas nos EUA, quase todos eram híbridos.

Investidores veem o anúncio de Newsom como um vento contrário para essas companhias. As ações da Subaru caíram 2,95% na quinta-feira (24), as da Mazda afundaram 3,65% e as da Toyota 2,16%.

Fonte: Asia Nikkei


Vamos comentar?

Outras Notícias

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Produtos Brasileiros no Japão - Mugen Foods
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Produtos Brasileiros no Japão