Covid-19: cientistas sugerem nova teoria sobre a baixa taxa de mortalidade na África

Publicado em 7 de setembro de 2020, em Notícias do Mundo

As taxas de mortes reportadas no continente são uma fração daquelas vistas na Europa.

Neste Artigo:
&nbspCovid-19: cientistas sugerem nova teoria sobre a baixa taxa de mortalidade na África
Rua vazia na Cidade do Cabo, África do Sul (banco de imagens PM)

Comunidades pobres na África podem ter desenvolvido maior imunidade aos coronavírus, sugeriram cientistas.

Publicidade

As taxas de morte reportadas no continente são uma fração daquelas vistas na Europa.

A África viu mais de 1,2 milhão de casos desde o início da pandemia, e cerca de 30 mil mortes, de acordo com os dados mais recentes do Centro da África para Prevenção e Controle de Doenças.

Até agora, cientistas sugeriram que essa disparidade seja provavelmente resultado de países africanos terem populações mais jovens do que nações europeias.

A cepa de coronavírus Covid-19 provou ser mais mortal em pessoas idosas, com as mais jovens tendo maior probabilidade de serem assintomáticas, ou vivenciarem sintomas leves.

A África do Sul foi particularmente atingida pela primeira onda da pandemia global de Covid-19.

O país registrou mais da metade das infecções por Covid-19 na África com mais de 600 mil casos confirmados. Houve cerca de 11,5 mil mortes reportadas.

Em comparação, o Reino Unido registrou 339 mil casos confirmados, bem menos do que a África do Sul, mas viu mais de mil mortes por dia durante duas semanas em abril, com 41.514 no total desde o início da pandemia.

Apesar de preocupações sobre potencial número de mortes não declarado, a taxa está significantemente abaixo daquela vista em países europeus com altos números de casos confirmados.

Agora, especialistas na África do Sul sugeriram que pode haver uma outra razão para a alta taxa de sobrevivência.

Muitos dos cidadãos do país vivem na pobreza em condições aglomeradas em que distanciamento social é impossível.

O professor Salim Abdool Karim, chefe da equipe de aconselhamento ministerial da África do Sul sobre Covid-19, disse ao BBC que a idade pode não ser um fator crucial.

Ele disse que há uma nova hipótese, a qual ele afirma que é apoiada por cientistas dos EUA, de que as pessoas vivendo em condições, em que elas estão expostas a uma ampla variedade de vírus incluindo coronavírus, desenvolveram “certo nível de imunidade de proteção cruzada pré-existente”.

“A proteção pode ser bem mais intensa em áreas altamente povoadas, em configurações africanas. Isso pode explicar por que a maioria (no continente) tem infecções assintomáticas ou leves”.

Ele acrescentou: “Não posso pensar em outra coisa que explicaria os números de pessoas completamente assintomáticas que estamos vendo. Os números são completamente inacreditáveis”.

Uma equipe na unidade de Análises de Doenças e Doenças Infecciosas no hospital Baragwanath em Soweto planeja testar amostras de células sanguíneas para analisar a teoria, divulgou o BBC.

Fonte: Standard UK


Vamos comentar?

Outras Notícias

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Produtos Brasileiros no Japão - Mugen Foods
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Kumon - estude japonês por correspondência!
Produtos Brasileiros no Japão