Homem que jogou ‘moedas da sorte’ em motor de avião é multado

Publicado em 3 de janeiro de 2020, em Notícias do Mundo

Essa não é a primeira vez que passageiros supersticiosos foram pegos jogando moedas nos motores de aviões.

Neste Artigo:
&nbspHomem que jogou ‘moedas da sorte’ em motor de avião é multado
Uma aeronave da low cost Lucky Air (PM)

Um chinês que estava fazendo uma viagem aérea pela primeira vez foi multado por jogar “moedas da sorte” no motor de um avião.

Publicidade

O chinês de 28 anos foi ordenado a pagar $17.200 em compensação à companhia low cost Lucky Air.

O avião não partiu após as moedas terem sido encontradas perto de um dos motores.

Lu Chao admitiu ter jogado as moedas quando ele embarcava em um voo no Aeroporto de Anqing Tianzhushan no leste da China em fevereiro de 2019.

Ele apareceu no tribunal em julho, mas o veredito só se tornou público recentemente.

O voo foi cancelado após funcionários terem avistado duas moedas de 1 yuan no chão perto dos motores da aeronave.

Verificações de segurança foram realizadas, deixando passageiros presos enquanto voos de substituição eram organizados.

Lu também foi detido pela polícia por 10 dias, acusado de perturbar a ordem pública, mas foi obrigado a pagar compensação via caso civil.

No tribunal, a Lucky Air disse que o incidente havia custado a ela mais de $17.600.

Lu discutiu no tribunal que a companhia aérea deveria ter alertado aos passageiros para não jogarem moedas nos aviões.

Essa não é a primeira vez que passageiros supersticiosos foram pegos jogando moedas nos motores de aviões.

Houve vários casos do tipo nos últimos anos, incluindo um passageiro idoso que atrasou um voo em 2017.

Fonte: BBC


Vamos comentar?

Outras Notícias

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Produtos Brasileiros no Japão - Mugen Foods
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Kumon - estude japonês por correspondência!