Preços do petróleo disparam após ataques com drones a instalações na Arábia Saudita

Publicado em 16 de setembro de 2019, em Notícias do Mundo

Os ataques com drones a plantas na região central da indústria do petróleo da Arábia Saudita incluíram atingir a maior instalação de processamento do combustível fóssil do mundo.

Neste Artigo:
&nbspPreços do petróleo disparam após ataques com drones a instalações na Arábia Saudita
Silhueta de trabalhador em refinaria (ilustrativa/banco de imagens)

Os preços do petróleo atingiram o valor mais alto em 4 meses após dois ataques a instalações na Arábia Saudita terem reduzido mais de 5% do abastecimento global.

Publicidade

No início da comercialização, o petróleo da Brent subiu 19% para US$79.95 o barril, enquanto o de outra grande referência, a West Texas Intermediate, subiu 15% para US$63.34.

Os preços diminuíram ligeiramente após o presidente Donald Trump ter autorizado a liberação de reservas dos EUA.

Pode levar semanas até as instalações sauditas voltarem ao funcionamento total.

Os ataques com drones a plantas na região central da indústria do petróleo da Arábia Saudita incluíram atingir a maior instalação de processamento de petróleo do mundo.

O secretário de estado dos EUA Mike Pompeo disse que o Teerã estava por trás dos ataques. O Irã acusou os EUA de “enganação”.

Depois, Trump disse em tuíte que os EUA sabiam quem era o culpado e que estava “trancado e carregado”, mas aguardando para ouvir dos sauditas sobre como eles queriam proceder.

Qual será o impacto no abastecimento de petróleo?

Os sauditas ainda não entraram em detalhes sobre os ataques, salvo dizendo que não houve vítimas, mas deram mais alguns indicadores sobre produção do combustível fóssil.

O ministro da energia, o príncipe Abdulaziz Bin Salman, disse que um pouco da queda na produção seria compensada ao utilizar amplas instalações de armazenamento.

O reinado é o maior exportador de petróleo do mundo, despachando mais de sete milhões de barris diariamente.

“Autoridades sauditas disseram que controlaram as chamas, mas isso está longe de extingui-las”, disse Abhishek Kumar, chefe de analítica na Interfax Energy em Londres. “Os danos a instalações em Abqaid e Khurais parecem ser extensos, e pode levar semanas para que os abastecimentos de petróleo sejam normalizados”.

A Arábia Saudita deve esvaziar reservas para que as exportações possam continuar normalmente nesta semana.

Quais são as acusações dos EUA?

Pompeo disse que o Teerã estava por trás dos ataques, mas não deu evidências específicas para auxiliar suas acusações.

Ele rejeitou afirmações de que rebeldes houthi do Iêmen, apoiados pelo Irã, realizaram os ataques.

O Irã acusou os EUA de “enganação” e seu ministro de relações exteriores Javad Zarif disse que “culpar o Irã não terminará o desastre” no Iêmen.

O Iêmen está em guerra desde 2015, quando o presidente Abdrabbuh Mansour Hadi foi forçado a fugir da capital Sanna pelos houthis. A Arábia Saudita apoia o presidente Hadi e lidera uma coalizão de países regionais contra os rebeldes.

Os EUA enquanto isso culparam o Irã por outros ataques a fornecedoras de petróleo na região neste ano, em meio à contínua tensão após a decisão de Donald Trump em restabelecer sanções após abandonar o negócio internacional marco que limitou as atividade nucleares do Teerã.

Fonte: BBC


Vamos comentar?

Outras Notícias

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Produtos Brasileiros no Japão - Mugen Foods
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão - Good Support!!
Kumon - Estude japonês!