Peste bubônica na China: OMS está ‘monitorando’ caso, mas diz que ‘não é de alto risco’

Publicado em 8 de julho de 2020, em Ásia

A peste bubônica já foi a doença mais temida do mundo, mas agora pode ser facilmente tratada.

Neste Artigo:
&nbspPeste bubônica na China: OMS está ‘monitorando’ caso, mas diz que ‘não é de alto risco’
Ilustração 3D da bactéria da peste bubônica, Yersinia pestis (banco de imagens/PM)

A Organização Mundial da Saúde – OMS diz que está “monitorando cuidadosamente” um caso de peste bubônica na região da Mongólia Interior da China, mas diz que ele “não é de alto risco”.

Publicidade

Um pastor está em condição estável no hospital após ter sido confirmado com a doença no último fim de semana.

Uma porta-voz da OMS disse que o caso estava sendo “bem administrado”.

A peste bubônica já foi a doença mais temida do mundo, mas agora pode ser facilmente tratada.

O que a OMS disse?

A porta-voz Margaret Harris disse: “a peste bubônica está e sempre estará conosco, por séculos. Estamos olhando o número de casos na China. Está sendo bem administrado.

“No momento, não estamos a considerando de alto risco, mas estamos observando, monitorando cuidadosamente”.

A OMS disse que foi informada na segunda-feira (6) sobre o caso do ordenhador, que está recebendo tratamento em um hospital em Bayan Nur.

A agência de notícias chinesa Xinhua disse que a Mongólia também havia confirmado dois casos na semana passada – irmãos que haviam consumido carne de marmota na província de Khovd.

Oficiais russos estão alertando comunidade na região de Altai do país a não caçarem marmotas, visto que carne infectada dos roedores é uma rota de transmissão conhecida.

O que é a peste bubônica?

A peste bubônica, causada por infecção bacteriana, foi responsável por uma das epidemias mais letais na história humana – a Peste Negra – que matou cerca de 50 milhões de pessoas em toda a África, Ásia e Europa no século 14.

Houve vários surtos de grande proporção desde então. A doença matou cerca de um quinto da população de Londres durante a Grande Praga de 1665, enquanto mais de 12 milhões morreram em surtos durante o século 19 na China e Índia.

Mas hoje em dia ela pode ser tratada com antibióticos. Se deixada sem tratamento, a doença – que é tipicamente transmitida de animais para humanos por pulgas – tem uma taxa de mortalidade de 30 a 60 por cento.

Sintomas da peste incluem febre alta, calafrios, náusea, fraqueza e inchaço dos gânglios linfáticos no pescoço, axilas ou virilha.

Poderia haver outra epidemia?

Casos de peste bubônica são raros, mas ainda há alguns reacendimentos da doença de tempos em tempos.

Madagascar registrou mais de 300 casos durante um surto em 2017. Entretanto, um estudo no jornal médico The Lancet descobriu que menos de 30 pessoas morreram.

Em maio do ano passado, duas pessoas na Mongólia morreram após consumirem carne crua de marmota.

Entretanto, é improvável que quaisquer casos levem a uma epidemia.

“Ao contrário do século 14, agora temos uma compreensão de como essa doença é transmitida”, disse o Dr. Shanti Kappagoda, médico especialista em doenças infecciosas no Centro de Saúde Stanford, ao site de notícias Heathline. “Sabemos como preveni-la”.

Fonte: BBC


Vamos comentar?

Outras Notícias

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Produtos Brasileiros no Japão - Mugen Foods
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Kumon - estude japonês por correspondência!
Produtos Brasileiros no Japão