“Hatsumode”: a primeira visita do ano a um santuário ou templo

Publicado em 30 de dezembro de 2016, em Tradições do Japão

Entenda sobre o "hatsumode", visita aos templos no início do ano, e sobre os "omamori", que devem ser trocados nesta época.

Neste Artigo:
 
Santuário Meiji em Tóquio no segundo dia de Ano- Novo em 2010 (Imagem: AP/Japan Times)

Multidões de reúnem para as primeiras orações do Ano- Novo.

Publicidade

Duas coisas que poderiam ser ditas para caracterizar feriados no Japão são multidões e filas.

E o dia de dia de Ano Novo não é exceção. Em contraste com o tom de vilas fantasma de muitos locais em outras partes do mundo na manhã após as festividades de véspera de Ano- Novo, existem aqueles onde as pessoas encontrarão atividades movimentadas, entre eles lugares de culto.

Ritual e Reforma

O hatsumode é a primeira visita do ano a um santuário ou templo. Nos dias 1 a 3 muitas pessoas no Japão aproveitam os feriados que iniciam janeiro e seguem a um templo budista ou santuário xintoísta para orar por boa sorte no ano à frente, com os locais mais populares atraindo imensas multidões.

Enquanto as pessoas estão nesses locais, entre a espera e o breve momento de comunicação com os deuses, geralmente, os desejos para o novo ano são feitos, novos omamori (amuletos) são comprados, e os antigos são devolvidos para serem queimados.

 
Cena hatsumode no Konno Hachimangu em Shibuya, Tóquio. Pessoas trazem os amuletos de boa sorte do ano anterior para serem queimados na fogueira (Imagem: Nippon)

Embora as práticas associadas ao hatsumode tenham origens muito antigas, em um paralelo interessante com tradições de Natal no ocidente, os costumes que são claramente reconhecíveis hoje realmente não surgiram até o final do século XIX. No caso do Japão, isso significa a era Meiji (1868-1912), um período de rápida modernização, avanço tecnológico e reforma que se seguiu ao fim do regime feudal.

Uma mudança importante foi a própria data. O calendário gregoriano foi introduzido no Japão em 1873, como parte das reformas da era Meiji destinadas a suavizarem as interações com outras nações. Antes disso, de acordo com vários calendários solares usados em grande parte do passado do Japão, o Ano- Novo havia caído de três a sete semanas mais tarde do que hoje.

 
Ise-Jingu em Mie (Arquivo Portal Mie)

Locais Venerados

As origens mais antigas do hatsumode podem ser rastreadas até a prática do toshigomori do período de Heian (794-1185), em que o chefe de uma família se isolaria em oração em um santuário da noite do último dia do ano (omisoka) à manhã do ganjitsu, o primeiro dia do Ano-Novo. Até o final do Período Edo (1603-1868), a convenção era visitar o santuário de uma divindade patrona de família ou o santuário/templo mais próximo da casa de um indivíduo ao traçar o eho, uma bússola vista como auspiciosa e que varia a cada ano baseada em cálculos astrológicos.

 
Hozomon e Pagode no Sensoji, em Tóquio (Imagem: Wikimedia/Daderot)

Antes das reformas de Meiji, destinadas a controlarem o poder e a riqueza dos poderosos templos budistas e promoverem um sentimento de patriotismo, dando maior destaque ao xintoísmo, as duas principais religiões do Japão passaram séculos desenvolvendo-se em estreita harmonia, a ponto de haver pouca distinção entre elas. Mesmo após a separação que se seguiu, as pessoas permaneceram indiscriminadas em sua escolha de santuário ou templo quando se tratava de hatsumode. Uma outra grande divergência de tradições passadas, no entanto, também estava no horizonte, conduzida esta vez – de acordo com alguns estudiosos – pelo progresso industrial.

 
Santuário Atsuta em Nagoia, Aichi (Imagem: Expedia)

Trens da alma

A primeira ferrovia do Japão entrou em funcionamento em outubro de 1872, com os serviços funcionando entre o distrito de Shinbashi, em Tóquio, e a vizinha cidade portuária de Yokohama. A partir desse ponto, a rede de transporte desenvolveu-se rapidamente, tornando mais fácil do que nunca os cidadãos atravessarem distâncias significativas.

 
Templo Kawasaki Daishi (Imagem: KSGG)

Foi por volta desta mesma época que as pessoas começaram a deixar para trás suas peregrinações de Ano- Novo em áreas locais e seguirem em direção aos maiores, mais sagrados e famosos santuários e templos.

Hoje em dia, o Santuário Meiji e o Sensoji (o templo em Asakusa) em Tóquio, o templo Kawasaki Daishi, o santuário Atsuta em Nagoia (Aichi) e outros lugares importantes de culto em todo o país, cada um deles, observam rotineiramente milhões de visitantes nos primeiros dias de cada ano.

Fonte: Nippon
Imagem: Japan Times, Expedia, KSGG, Wikimedia, Nippon


Vamos comentar?

Outras Notícias

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Produtos Brasileiros no Japão - Mugen Foods
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão - Good Support!!
Kumon - Estude japonês!