Educação de Filhos

Publicado em 25 de março de 2019, em Juliana Palma

Os momentos em que você enfrenta os seus maiores desafios com seus filhos é também o momento em que VOCÊ tem a oportunidade de ensiná-los.

Neste Artigo:

&nbspEducação de Filhos

Publicidade

É difícil saber como disciplinar nossos filhos.

É exaustivo. É irritante.

Na maioria das vezes acontece assim:

As crianças não agem da forma que a gente espera.

Nós ficamos irritados. Eles contrariados. E o caos se instala.

A verdade é que muitas vezes VOCÊ não sabe que tipo de disciplina utilizar. Mas sabe bem o que NÃO quer usar.

Você quer construir um relacionamento com sua criança, não prejudicá-lo. Você quer diminuir o drama, e não aumentá-lo.

O que eu quero passar para você é que os momentos em que você enfrenta os seus maiores desafios com seus filhos, é também o momento em que VOCÊ tem a oportunidade de ensiná-los.

Quando sua criança se comporta mal, o que você faz? O castigo é sua meta principal?

Disciplinar é uma das coisas mais amorosas que você pode fazer pela sua criança. Nossos filhos precisam aprender habilidades tais como inibir impulsos, controlar a raiva e sobre o impacto de seus comportamentos sobre os outros.

Se você for capaz de oferecer isso para as crianças, você estará oferecendo um presente importante não só para elas, mas para toda a família e até mesmo para o mundo.

A DISCIPLINA POSITIVA, que é a abordagem que eu sigo e acredito, é uma forma de disciplinar cheia de respeito e aprendizado, mas também tem limites muito claros e consistentes.

Disciplinar a criança não deve ser algo padronizado.

Você pode se perguntar: “meus filhos saíram do mesmo forninho, tem o mesmo DNA, por que são tão diferentes?”

Porque cada criança tem um temperamento e uma percepção de mundo diferente da outra. O que serve para um pode não servir para o outro. E muitas vezes o que funcionou uma vez, pode não funcionar 10 minutos depois, para a mesma criança.

Por exemplo: eu costumava ameaçar meus filhos contando 1, 2 , 3… até que chegou um dia que o 1,2,3 não funcionou mais…Simplesmente porque eu fiz da disciplina algo automático.

De repente algo deu certo e eu achei que tinha descoberto a fórmula mágica.

Mas não, disciplinar não é algo automático, e se você faz isso, você perde a oportunidade de se conectar com a criança e de oferecer o que ela precisa naquele momento.

Quando disciplinamos no piloto automático, reagimos a uma situação muito mais a partir do nosso estado de espírito do que de acordo com o que nosso filho precisa naquele momento.

Quando a gente tenta automatizar a disciplina a gente cai na armadilha de achar que por ser algo automático você não precisa fazer toda hora. Nesse caso, ensinar toda hora. Mas nossos filhos não são como a nossa lava-louça que basta ligar o botão e pimba! Louças lavadas…

Nossos filhos são seres em formação. Então, provavelmente, você terá que repetir os mesmos ensinamentos por muitas e muitas vezes.

Ser pai e mãe é para sempre. Ensinar nossos filhos é para sempre. Quando a gente entende isso e não leva o mau comportamento para o lado pessoal, fica mais fácil entender que na hora que seu filho de 2 anos está chorando no meio do mercado, não é porque ele quer desafiar, mas sim porque ele precisa te comunicar algo que ele ainda não sabe dizer em palavras.

E nesse caso, nós precisamos nos conectar antes de corrigir a criança.

Conectar, Redirecionar e Corrigir

O primeiro passo para estabelecer uma disciplina eficiente é nos conectarmos emocionalmente com nossos filhos.

Conexão significa que damos atenção, que os respeitamos o suficiente para escutá-los, que valorizamos suas contribuições para a solução dos problemas e que estamos ao lado deles. Mas conexão não é o mesmo que permissividade. Na verdade, é o oposto disso.

Conexão é dar a atenção que a criança necessita e oferecer limites claros e consistentes, criando assim um estrutura propícia para o seu desenvolvimento.

Estudos têm mostrado que o vínculo que pais e filhos criam juntos é um dos fatores determinantes para que a criança tenha sucesso na vida pessoal.

Conectar antes de corrigir, é a melhor maneira de promover a mudança de comportamento.

Veja alguns exemplos de como estabelecer a conexão antes de corrigir:

CONEXÃO. Validando os sentimentos da criança: “Vejo que você está frustrado e bravo”.

CORREÇÃO. “Tudo bem você estar se sentindo assim, mas você não pode bater. O que mais você poderia fazer para resolver isso?”

CONEXÃO. Verbalize o afeto: “Eu me importo com o que você tem a dizer”.

CORREÇÃO.”Vamos reservar um tempo para sentarmos juntos e pensarmos em soluções que sejam respeitosas com todos”.

Nem sempre seremos capazes de agir de forma sutil e conectada, isso é natural, pois somos humanos. Mas quanto mais nos conectamos com nossos filhos, mais fácil aprendemos a lidar com os dramas quando reagimos ao seu mau comportamento.

Coluna escrita por Juliana Palma

Juliana Palma é mãe, Pedagoga e Neuroeducadora, Educadora Parental e Especialista em Disciplina Positiva para pais, professores, casais e empresas. Gosta de viajar fazendo palestras, workshops e ministrando treinamentos em Educação e Relacionamentos positivos.

Para conhecer mais sobre o trabalho de Juliana, toque nos links: Facebook, Instagram, YouTube.


Vamos comentar?

Outras Notícias

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Produtos Brasileiros no Japão - Mugen Foods
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão - Good Support!!
UNIP Faculdade à distância
Kumon - Estude japonês!