JR East considera operações de trens sem condutores

Publicado em 15 de agosto de 2018, em Sociedade

A empresa visa gerenciar uma esperada escassez de condutores devido a uma aposentadoria em massa de funcionários veteranos futuramente.

&nbspJR East considera operações de trens sem condutores
A JR East planeja introduzir o sistema na linha Yamanote, que não está ligada a outras linhas, assim como na Tohoku Shinkansen, cuja maioria dos trilhos são elevados

A East Japan Railway Co (JR East) está considerando a introdução de operações automatizadas, sem condutores nas linhas Tohoku Shinkansen, Yamanote e outras, soube o jornal Yomiuri.

Publicidade

A empresa visa gerenciar uma esperada escassez de condutores devido a uma aposentadoria em massa de funcionários veteranos futuramente. A JR East já estabeleceu uma equipe de projeto para acelerar o desenvolvimento tecnológico.

A JR East visa o desenvolvimento de um sistema que opera os trens automaticamente sem um condutor a bordo. No primeiro estágio, a meta é ter um condutor somente para lidar com situações de emergência. Eventualmente, a empresa planeja introduzir operações completamente automatizadas.

No Japão, serviços de trem automatizados são operados na linha Yurikamome usando um novo sistema de transporte desenvolvido para prevenir que passageiros tenham acesso aos trilhos. A linha Linear Chuo Shinkansen, atualmente em construção pela Central Japan Railway Co, poderá ser operada sem condutor.

Linhas ferroviárias privadas e da JR existentes têm muitos cruzamentos e outras características, dificultando a introdução de serviços de trem sem condutor a partir do ponto de vista de prevenir acidentes. Para realizar tais operações, medidas de segurança adicionais serão necessárias, como a construção de trilhos elevados, como aqueles na linha Yurikamome, e a instalação de barreiras de plataforma que vão do piso ao teto.

A JR East planeja introduzir o sistema na linha Yamanote, que não está ligada a outras linhas, assim como na Tohoku Shinkansen, cuja maioria dos trilhos são elevados. Há também um plano para introduzir o sistema a linhas ferroviárias em situação deficitária com a finalidade de manter os custos baixos e seus serviços.

Contudo, ainda há muitos obstáculos a vencer. A empresa deve desenvolver um sensor de alta precisão que possa detectar obstáculos nos trilhos, já que é difícil aplicar atual tecnologia para o sistema autônomo. Também será necessário desenvolver equipamento que detecta ruídos e odores anormais, o que seria no presente momento detectado fisicamente por membros da tripulação.

Sistema legal

Estruturação legal também é necessária. De acordo com o Ministério da Terra, Infraestrutura, Transporte e Turismo, as regras incluem decretos sobre as instalações e condições de operação, dentre outras, com base na Lei de Operação de Ferrovias, que devem ser revisadas para introduzir operações automatizadas em linhas existentes.

Fonte: Yomiuri
Banco de imagens


Deixe seu comentário nesta página!

Neste Artigo:

Outras Notícias

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Produtos Brasileiros no Japão - Mugen Foods
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Empregos no Japão - Team Altas
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Kumon - aprenda japonês de forma prática!