Homem ‘morto’ volta para casa após família ter cremado corpo errado

Publicado em 14 de junho de 2018, em Sociedade

A polícia de Tóquio admitiu que entregou o corpo errado para sepultamento após familiares terem feito uma identificação positiva equivocadamente.

&nbspHomem ‘morto’ volta para casa após família ter cremado corpo errado
Área do Rio Edo, no distrito de  Katsushita, em Tóquio (imagem ilustrativa/Wikimedia)

Um homem que foi dado como desaparecido no ano passado, depois “encontrado”, então confirmado como morto pela polícia e a família que o cremou, chocou seus parentes após retornar para casa vivo e bem.

De acordo com relatos da polícia na terça-feira (12), o homem de aproximadamente 40 anos desapareceu de sua casa em Matsudo (Chiba), no ano passado. Sua família registrou o desaparecimento imediatamente e a polícia vinha em busca de seu paradeiro.

Em 21 de junho de 2017, a polícia encontrou um homem inconsciente no Rio Edo, no distrito de Katsushika (Tóquio). Suas características faciais e corporais corresponderam àquelas relatadas pela família do homem desaparecido de 40 anos. O homem encontrado no rio morreu logo após ter sido levado ao hospital. Não havia qualquer identificação junto a ele.

A família do homem de Matsudo, incluindo sua esposa e dois outros parentes, foram chamados pela polícia para identificar o corpo, o que eles fizeram, confirmando “não haver erro” que era ele. A condição do homem então passou de “desaparecido” para “morto” com o afogamento listado como a causa da morte. O corpo foi entregue à família e posteriormente cremado. Esse era para ser o final da história.

Até o homem de Matsudo voltar para casa vivo e bem no início de maio deste ano.

Após o surpreso retorno do homem, a esposa entrou em contato com a polícia em 6 de junho para dizer que seu marido havia voltado para casa. As autoridades não informaram onde ele estava e nem o que estava fazendo.

Em resposta, a polícia deu início a uma investigação, determinando que o homem encontrado no rio era outra pessoa desaparecida, um residente de Tóquio de aproximadamente 30 anos. Impressões digitais colhidas do homem morto confirmaram isso. Sua família também havia feito um registro de desaparecimento logo após a polícia ter achado que o corpo dele era o do homem de Matsudo.

Em casos quando a família de uma pessoa morta confirma a identidade após ver o corpo, verificação de impressões digitais e DNA não são exigidas, de acordo com a polícia.

A polícia de Tóquio entrou em contato com a família do homem em questão para iniciar o processo de passar os restos mortais a eles.

Representantes da polícia emitiram uma declaração dizendo que gostariam de usar esse caso como uma lição para prevenir que incidentes similares aconteçam no futuro.

Fonte: Japan Today
Imagem: Wikimedia

Deixe seu comentário nesta página!

Neste Artigo:

Outras Notícias

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Produtos Brasileiros no Japão - Mugen Foods
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Empregos no Japão - Team Altas
Estude Japonês no Kumon
Fujiarte - Empregos no Japão
WAYSU - Empregos no Japão
UNIP Polo Japão