Exame de DNA confirma o assassino da universitária morta 13 anos atrás

Publicado em 4 de setembro de 2017, em Crime

Filipino residente em Mizuho (Gifu), de 35 anos, é preso, mas seus dois comparsas fugiram para as Filipinas. Polícia deu ordem de busca internacional.

&nbspExame de DNA confirma o assassino da universitária morta 13 anos atrás
Filipino preso confessou o crime de assassinato da universitária japonesa, 13 anos atrás (Flickr)

No domingo (3), a polícia de Ibaraki anunciou o resultado do exame de DNA de um homem filipino, preso no dia anterior. O exame confirma que o material que estava no corpo da mulher assassinada é o de Lampano Jerico Mori, 35 anos. Atualmente residia em Mizuho (Gifu) e trabalhava na cidade. Segundo a imprensa, com a confirmação do exame de DNA, ele já foi encaminhado para a promotoria para responder pelo crime de estupro, assassinato e abandono de cadáver.

A polícia de Ibaraki emitiu ordem de busca e apreensão internacional, pois 2 de seus comparsas teriam fugido para as Filipinas depois do crime. Na época, ambos eram menores de idade e agora devem ter 31 e 33 anos, respectivamente.

Universitária é encontrada morta em 2004

A vítima, Misato Harada, tinha 21 anos, em janeiro de 2004. Estava no segundo ano da Faculdade de Agronomia da Universidade de Ibaraki e residia em Miho-mura (Ibaraki). Em 31 de janeiro daquele ano, a universitária teria saído para caminhar quando foi estuprada e morta por enforcamento. O preso filipino confessou o crime, informou a polícia. Na época do crime, ele morava em Tsuchiura (Ibaraki). 

O corpo da universitária foi encontrado a 6Km de onde residia. No seu corpo foram encontradas também lesões provocadas por faca ou objeto cortante, tanto no pescoço quanto na região peitoral.

Estudante saiu para caminhar

Segundo o Sponichi, a estudante morava sozinha, mas nessa noite teria jantado com uma amiga no apartamento. Por volta da meia-noite teria saído sozinha para fazer uma caminhada, já que sua convidada dormiu. Deixou um bilhete informando isso, as lentes de contato, o telefone celular e a carteira. Ao despertar, a amiga não a encontrou em casa. Tampouco havia sinais de que algo a mais tivesse acontecido no apartamento. Por volta das 21h o corpo dela foi encontrado no leito do rio Seimei.

A investigação não encontrou nenhuma pista de envolvimento da estudante em problemas. Investigou todos os colegas e amigos e não encontrou nenhum suspeito no meio. Passados 10 anos, sem nenhuma evidência, os colegas da época prepararam um folheto para tentar obter informações.

Depois de 13 anos, os policiais conseguiram desvendar o caso e encontrar os criminosos, através de mais de 360 informações obtidas por testemunhas. Algumas pessoas teriam visto vários homens descarregando a bicicleta que era da estudante, de uma vagon. Ela foi encontrada a 8Km de onde morava. Acredita-se que ela tenha sido assassinada em outro local e seu corpo tenha sido transportado de carro para onde foi encontrado. 

A universitária era da província de Yamaguchi. Deixou sua cidade natal para estudar. Seu pai, localizado pela imprensa, preferiu não dar entrevista.

Fontes: Tokyo Shimbun, Sponichi e Sankei 
Imagem ilustrativa: Flickr

Deixe seu comentário nesta página!

Neste Artigo:

Outras Notícias

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Mudanças para o Brasil
Produtos Brasileiros no Japão
Produtos Brasileiros no Japão - Mugen Foods
Clínica Dental ai - atendimento em português
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Empregos no Japão - Team Altas
Empregos no Japão by Fujiarte
Waysu - Empregos com segurança!