Assassino e vítima se conheceram no seminário de Bitcoin

Publicado em 2 de agosto de 2017, em Crime

Mulher que estava desaparecida foi encontrada morta, enterrada dentro da mala em Shiga. O elo entre ela e um dos assassinos foi o seminário de Bitcoin.

&nbspAssassino e vítima se conheceram no seminário de Bitcoin
Local onde o corpo da mulher desaparecida foi encontrado e as moedas virtuais (Sankei/Pixabay)

A imprensa descobriu o elo entre o assassino e a mulher que estava desaparecida e foi encontrada morta. Foi o seminário de Bitcoin, segundo o jornal Asahi.

Miyuki Noda, 53, de Nagoia (Aichi), trabalhava como part time (paato) em uma casa de alimentos e bebidas. Paralelamente fazia parte de grupos de marketing de rede, entre eles o do Bitcoin. Ela e um dos assassinos faziam parte do mesmo grupo de investimento através da web.

Um dos presos, Ichiya Nishida, 20, era o que participava do grupo de marketing de rede. Segundo a polícia, ele teve o papel central no assassinato. O outro rapaz preso, de 18 anos, foi seu colega na mesma escola onde estudaram no passado, de grupos diferentes, em Shiga. A polícia supõe que eles tenham transportado o corpo da mulher em uma mala e enterrado próximo ao local onde já viveram.

Para saber mais sobre o caso, clique aqui.

&nbspAssassino e vítima se conheceram no seminário de Bitcoin
Polícia descobriu problema financeiro entre a vítima e o assassino, do marketing de rede do Bitcoin (Pixabay)

Marketing de rede do Bitcoin

Segundo o Asahi, mulher vinha realizando seminários sobre Bitcoin, junto com seus conhecidos. Ela teria dito “quero conversar com você sobre o Bitcoin” para Nishida. Assim, marcaram encontro em Ogaki (Gifu). Já o Sankei publicou que a polícia informou ter descoberto problemas envolvendo dinheiro entre os dois. Em 18 de junho, ela entrou no carro de Nishida, desapareceu e seu corpo foi encontrado em 31 de julho. De acordo com o noticiário da CBC desta quarta-feira (2), Nishida teria transferido o equivalente a mais de 100 mil ienes em moedas virtuais Bitcoin, da conta da vítima para a dele. 

O outro rapaz preso era amigo de infância de Nishida e não conhecia a mulher. Ele fez o papel de ajudante do amigo e ambos foram algemados.

O Sankei levantou que os seminários organizados pela mulher eram para apresentar o investimento no Bitcoin. Para quem fizesse apresentação de outras pessoas interessadas, havia uma recompensa.

Segundo uma pessoa entrevistada pelo Sankei, do Centro Nacional de Defesa do Consumidor, esse tipo de marketing de rede, incluindo cosméticos e suplementos, vem crescendo entre os jovens no Japão. “Está em crescimento os seminário de marketing de rede da moeda virtual e também o número de consultas aumentaram”, declarou o entrevistado do órgão de defesa do consumidor.

Fontes: NHK, CBC, Sankei e Asahi
Fotos: Sankei e Pixabay

Deixe seu comentário nesta página!

Neste Artigo:

Outras Notícias

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Mudanças para o Brasil
Produtos Brasileiros no Japão
Mugen Homes - Construindo Sonhos
Clínica Dental ai - atendimento em português
Baladas no Japão
Empregos no Japão