Brasileiro é preso por cultivo de maconha dentro do apartamento

Publicado em 13 de fevereiro de 2017, em Aconteceu Hoje

Um brasileiro que cultivava maconha dentro de seu apartamento foi preso. Saiba quem é e os detalhes.

&nbspBrasileiro é preso por cultivo de maconha dentro do apartamento
cena da quitinete: plantação e utensílios usados para o cultivo da maconha (Sankei News)

A Unidade de Controle de Narcóticos da Divisão do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem Estar da Região Kinki,  anunciou a prisão de um residente no bairro Aramoto Kita, da cidade de Higashi Osaka (Osaka), de cidadania brasileira.

A prisão e o encaminhamento para a Promotoria foram anunciadas nesta segunda-feira (13), de acordo com o jornal Sankei.

O preso responderá pelo de cultivo e posse de maconha. Foi identificado como Márcio Shiguemitsu Itiwatari, 38, cidadania brasileira e desempregado.

20 pés de maconha e erva seca

Segundo o órgão de controle, de março do ano passado a janeiro deste ano, Itiwatari estaria cultivando 20 pés de maconha dentro de sua quitinete. De acordo com o jornal “como ele cultivava uma grande quantidade, o órgão de controle está examinando cuidadosamente se ele não repassava o produto”.

Em 17 de janeiro deste ano o órgão de controle efetuou uma batida na quitinete quando encontrou essa quantidade de pés de maconha. Além disso, ele tinha a maconha seca armazenada dentro de um pote de vidro. De acordo com as informações do jornal, havia cerca de 116,6 gramas da erva.

Ele foi preso por porte da erva e em 30 deste mês deverá receber outra ordem de prisão por conta da plantação da maconha. “Eu cultivava para meu próprio uso”, teria declarado o brasileiro preso, assumindo o fato, segundo o jornal.

 

Fonte e foto: Sankei News

Deixe seu comentário nesta página!

Neste Artigo:

Outras Notícias

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Mudanças para o Brasil
Produtos Brasileiros no Japão
Mugen Homes - Construindo Sonhos
Clínica Dental ai - atendimento em português
Baladas no Japão
Casa Própria no Japão
Globo Internacional, mais acessível no Japão